Como crescer seu negócio, empreendedorismo e transição
de carreira

https://www.instagram.com/mariamathias.organizer/

Personal Organizer, educadora física de formação, instrutora de pilates, atuou 15 anos no turismo lazer e corporativo, maratonista, amante do sol, natureza e de uma vida simples, saudavel e mais natural possível.

Lema: Por uma vida mais leve, organizada e feliz!

A Maria foi minha aluna no curso Instagram para Personal Organizers e no dia que nos conhecemos tivemos muita sinergia! Além disso, o crescimento do negócio dela em apenas um ano foi incrível, e por isso, eu a convidei para falar mais sobre essa jornada hoje. Se preferir, assista a gravação da nossa live que está no final dessa página. Obrigada Maria!

Por que você se tornou Personal Organizer?

Depois de aproximadamente 15 anos no turismo, de lazer e corporativo, entre eles Flytour Amex, atendendo grandes contas correntes, Panasonic, Braskem, Cebrace, etc.

O stress tomou conta, teve época que fazia mais de 40 processos/ dia, e mesmo sendo super saudável, comecei a desenvolver arritmias cardíacas, gastrite nervosa, etc. Percebi que já havia contribuído muito onde atuei , e pessoalmente já estava satisfeita. Pedi o desligamento final de fevereiro de 2019.

Como consultora de turismo, organização é fundamental. Grandes empresários, diretores, viajam pelo Brasil e mundo semanalmente, e gerir toda a logística de todos esses funcionários, e ainda economizar para a empresa, reservar os melhores vôos, menores conexões, bons hotéis, requer sim, muita organização.

Ouvi falar sobre a profissão de Personal Organizer e fui pesquisar tudo sobre a carreira, profissionalização , cursos, até fiz um curso online de negócios para PO antes mesmo de decidir encarar a nova profissão.

Quando decidi que era uma profissão em ascenção e em SJC havia mto mercado e poucas POs, busquei a melhor referencia que é a OZ e no final de março de 2019 havia uma turma, para o curso HOME, que são 3 dias presenciais*,
fiz o curso e no terceiro dia, já consegui um laboratório (estágio não-remunerado) em SP com a Marcia Guerra, PO, que faz o organizatour, fui mais 2dias para SP com meu $ para experimentar e sentir na pele, o que havia estudado em teoriae sai ainda mais motivada,
no mesmo dia já montei minha conta no Instagram.

 *Atualmente devido ao Covid-19 a OZ! Está disponibilizando a formação em Personal Organizer 100% online.

Que caminhos você escolheu para comunicar e divulgar seu trabalho?

Minha primeira exposição foi em setembro, em uma feira de empreendedores no Clube da Johnson&Johnson. Fizemos muita divulgação, montei um stand, levei colméias, e foi o primeiro contato com o publico fora da internet.

Choveu o mundo, naquele domingo, mas a feira encheu , mesmo que só com os convidados de todos os empreendedores.

Foi um boost muito importante e fiz muitos contatos, sempre levo papeis para captar contatos e pergunto o que gostariam de organizar em casa e sorteio uma consultoria.

Fornecedores são muito importantes também, eventos e Workshops, Leroy Merlin, que é uma super oportunidade para mostrar nosso trabalho e ganhar reconhecimento na área, pois a Leroy, é super apoiadora do trabalho de PO, e cede o espaço gratuitamente para eventos,
muitos contatos da feira foram no workshop que eu fiz na Leroy, e foi gratuito, mas arrecadamos itens para um asilo que uma das pessoas trabalha como voluntária. Uma coisa vai puxando outra e estou sempre aberta essas ações, até um bazar ajudei a organizar para essa insitituição.

Outra ação foi em agência de viagens, com workshop de malas de viagens, pois tenho muitos contatos no ramo. Ofereci um voucher de mala de viagem que vendo para agência e eles presenteiam o cliente quando compram a viagem.

Fiz poucos folders físicos, mas usei nos workshops e panfletei em poucos condomínios, mas até consegui um cliente por esse meio, mas não senti mto retorno e também não investi mto nesse veículo.

Me envolvi como patrocinadora, numa corrida solidária, em um bairro próximo ao meu e mesmo não sendo meu publico alvo, foi baixo custo e foi interessante para me envolver em atividades que gosto e que reforçam meus conceitos de vida saudável, etc.

Aprendi que tudo vale, através desse projeto, reforcei uma parceria com um marceneiro, que sempre indica meu trabalho e eu o dele.


Como foi seu crescimento no Instagram? Que dicas você dá para quem está começando?

Quando fui a POB 2019, conferencia nacional para Personal Organizer, onde também há a feira Organiza Brasil, senti que sim, era a hora de investir mais na profissão e dar mais um passo para reforçar meu negocio.

E no stand da OZ, estavam divulgando o novo curso Instagram para PO, com você Gi.

Não pensei 2x, por que já conhecia seu trabalho e investi no curso garantindo a vaga, na primeira turma. Nesse mesmo evento também me associei a ANPOP, associação nacional de personal organizer e produtividade.

Acredito que o insta é uma ferramenta de entrada, mas ela sozinha não faz milagres, você precisa estar forte na sua profissão e ela relfetirá no insta, youtube, facebook, ou qquer outra rede social.

Como nos sabemos bem, o Essencialismo, na qual acreditamos ser a fonte insipiradora minha vida, e profissão, tem essa premissa de ser quem você, mostrar o que você acredita e gosta.

Não adianta ser fake, ou forçar a barra, para ter mais likes, mais views, ou shares, o lance todo é ser real, #empreendedorismoreal, não é GI? RSS, por que as pessoas percebem, quando aquilo é verdade e que isso faz parte da sua vida e de quem você é.

Minha dica é ser você mesmo, se está afim, grave seus stories, use os filtros que gosta, faça as brincadeiras que faz, não tente ser outra pessoa, ou fazer caras e bocas, como aquela PO, ou outra referencia do seu ramo, seja VOCÊ.

Eu particularmente vejo e sigo poucas POs, somente aquelas que tem algo a ver com meu job, e tem um estilo parecido, porque não quero ouvir os “ruídos” da profissão, quero seguir meu feeling também, e meu conteúdo é assim, livre dentro de uma proposta que estabeleço.

Na quarentena, começei uma serie, Organize-se em Quarentena, e faço conteúdos simples, para as pessoas fazerem em casa, não apenas assistirem e se sentirem pior pq são super difíceis, ou inalcançáveis.

Nas primeiras semanas, vendi muita colméia (produto organizador), e fui entregar de máscaras e luvas para as pessoas organizarem suas gavetas, e fui ajudando a distancia por whatsapp.

Outra dica é não se julgar mto, e esteja presente, do seu jeito mesmo, mas FACA, seja constante, entenda as dores do seu cliente e fale com ele, como você gostaria que falassem com você, não force a barra.

Vejo POs , julgando ou usando uma comunicação agressiva, como se elas fossem as salvadoras do mundo e todos super desorganizados, e não é bem por aí, eu prefiro uma comunicação leve, descontraida, otimista, que motive a pessoa a dar um passo rumo a uma vida mais organizada, leve e feliz, do jeito dela, e que faça sentido para sua vida, e sua família.


Como é seu trabalho offline? Você faz boca-a-boca?

Por SJC ainda ser uma cidade relativamente pequena, há pontos negativos e positivos. Poucas pessoas realmente sabem o que é o trabalho de Personal Organizer e o que implica seu trabalho, mas em vantagem, tenho portas mais abertas, para agendar esses eventos em lojas, consolidar parcerias, com fornecedores, e voar livre em todo meio de comunicação ou nicho.

Vou com a cara mesmo, e faço uma proposta e envio para a loja que me interessa.

Entrei em um grupo de empreendedorismo feminino de SJC e isso me ajuda mto a consolidar essas parcerias, e tenho um apoio para empreender, com reuniões mensais, café network, com outras áreas. Tenho projetos engatilhados, com pediatra, mkt digital, chef de cozinha, arquiteta, etc.

Faça muitas parcerias, ssempre! Isso reforça seu trabalho e há uma troca enorme de experiências, o que consolida sua imagem, junto ao publico.

Seja bem vindo
ao meu blog!

Por aqui, compartilho conteúdos sobre marketing consciente, bastidores do empreendedorismo real e estilo de vida.

© Giovana Belfiore - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade
Desenvolvido por AFETO DESIGN